No meio de mamães e papais de plantão, o tema escola “Ideal” é o assunto mais discutido, nessa época de matrículas e rematrículas do ano.

E se você não estiver vivendo esse tema no momento, certamente algum parente ou amigo seu está.

Passe adiante para eles! Com certeza muitos podem estar precisando ler essas dicas!

Desde que me tornei mãe, escuto um burburinho de quem fica ou quem vai para a escola mais “excepcional” do momento. E esse assunto provoca uma verdadeira revolução financeira, na vida dos pais. Porque como qualquer pai e mãe, custe o que custar, o seu desejo é tornar seus filhos, nos melhores profissionais e pessoas do universo. Não é mesmo?

Mas calma, não é porque você não conseguiu a vaga na escola “Top das Galáxias”, que o sucesso do seu filho estará em risco.  Antes de mais nada, tenha em mente que não existe um sistema educacional perfeito, mas sim o adequado para o seu filho!

 

Confira algumas dicas e sugestões simples, para te ajudar nesta difícil decisão:

1.Personalidade da criança:

Conheça o perfil do seu filho, através do convívio diário (no mínimo uma hora e meia de dedicação), é possível observar o comportamento, as reações, os sentimentos dominantes e estilo de personalidade da criança.  Se você tiver mais de um filho, poderá perceber também, que eles não se adequarão na mesma escola, por questões de personalidades diferentes.

2. Ambiente favorável a aprendizagem:

Se possível, escolha por uma escola com maior área aberta possível. O bom relacionamento entre as pessoas envolvidas no dia-a-dia escolar também é influenciado pelo espaço físico, além disso a conexão com a natureza e meio ambiente favorecem na aprendizagem;

3. Qualificação dos colaboradores:

Uma boa escola é também aquela que valoriza os seus colaboradores. Converse com a cozinheira da escola, com o porteiro, além dos professores, é claro! Perceba o nível de satisfação deles em trabalharem naquele local. Uma excelente escola é aquela que contrata colaboradores capacitados, mas principalmente aquela que valoriza e incentiva seus colaboradores a obterem sua melhor performasse. Através de cursos, treinamentos, palestras, etc…

4. Projeto pedagógico:

A filosofia da instituição escolar deve ser muito clara, porque ela reflete como será transmitido o conhecimento. Além do cuidado com o currículo escolar, o material pedagógico e as avaliações também devem ser desenvolvidas com atenção. Fique atento aos valores morais importantes à sua família – A escola precisa estar em congruência com os seus valores. Isso significa, por exemplo, que se você é Judeu e for colocar seu filho em uma escola Católica, pergunte-se antes, o quanto isso é primordial, para a formação do seu filho(a)?

5. Atividades extracurriculares:

A vivência escolar é enriquecida pela oferta de atividades extracurriculares. A diversidade de aulas como teatro, música e dança, enriquece o conhecimento cultural, a formação da criança e a interação com pensamentos diferentes, o que reflete positivamente na forma que o aluno vê o mundo. Todos os tipos de atividades são muito positivas, para o desenvolvimento motor, psicológico e criativo das crianças.  O segredo é equilibrar essas atividades na rotina delas, de forma leve e sem maiores cobranças.

6. Número ideal de alunos:

A quantidade de alunos na sala de aula influencia no processo de aprendizagem. Turmas menores permitem que os professores acompanhem de perto o rendimento dos estudantes e favorece a percepção das dificuldades a serem superadas.

Aos pais que já possuem seus filhos nas escolas, mas vira e mexe possuem dúvidas, sobre o sistema de ensino.

Mostrem-se presentes!

A presença da família é essencial para fazer do Conselho Escolar uma instância com voz efetiva na melhoria contínua do ensino. É importante que a família participe do desenvolvimento escolar da criança e do adolescente, e esteja presente nos eventos e no acompanhamento diário das atividades de seus filhos. Isso influi na redução da indisciplina, na melhora de rendimento do aluno e na formação de um ambiente escolar participativo.

Vovô Dino, ensinando sobre a profissão de Cozinheiro, na escola onde meus filhos estudavam, no Rio de Janeiro.

E para finalizar esse assunto tão envolvente, quero compartilhar com vocês uma pergunta reflexiva, que fiz para alguns pais, cujo o nome dos seus filhos, estão na lista de espera, das principais escolas daqui de São Paulo.

A pergunta foi a seguinte: O que faz você ser bem-sucedido no seu trabalho?

Imediatamente percebi o brilho nos olhos desses pais e mães, que responderam orgulhosamente – “Sou resiliente e perseverante”, “Sou determinado”, “sou agregadora”, “sou positiva e gosto de trabalhar com pessoas”, “sou comunicativa e flexível”, “sou auto motivado”. Incrivelmente, ninguém me respondeu: “Sou fera em matemática”, “Sou excepcional em química”, “Sou excelente em história e geografia”.

Então meus amores, ganhem tempo com o que realmente importa!

Não espere de uma instituição de ensino ser excepcional em tudo. O mais importante de todos esse pontos colocados é o acolhimento da escola. Se seu filho se sente parte dessa integrante da instituição, se ele é ouvido, respeitado e principalmente sente-se feliz lá, bingo!

Ele terá condições emocionais para aprender todo o resto.

Conhece outras dicas não abordadas neste post?

Leia também Seu filho tem medo de palco?

Deixe um comentário!